Décor Solidário:Uma história de arquitetura, design e amor

Fernanda Pinho

Décor Solidário:Uma história de arquitetura, design e amor

Quando a Mão Dupla Comunicação foi criada existia, sim, um desejo de empreender num nicho ainda não inexplorado. Existia também a vontade trabalhar na profissão que sempre sonhamos, e para a qual havíamos nos preparado, tendo o belo como pano de fundo. E existia, sobretudo, uma vontade imensa de propagar que a arquitetura e o design não são artigos de luxo. Tampouco se enquadrariam na categoria de supérfluos caso fossem produtos numa prateleira de supermercado.

Para a Mão Dupla Comunicação nascer e ser, desde sua essência, especializada no segmento em que atuamos, era preciso, antes de tudo, o mais profundo entendimento de que a arquitetura e o design podem mudar vidas. Por meio do vasto conteúdo que produzimos ao longo dos anos, poderíamos nos dar por satisfeitas em nossa missão. Mas havia uma intuição de algo mais poderoso poderia ser feito. Foi numa tarde de outubro de 2014, em uma reunião na já extinta Momo da avenida do Contorno, que explicamos a ideia para aquela que viria a ser nossa parceira, cabeça e coração nesse projeto: Fabiana Visacro. Nossa cliente, designer de interiores e psicóloga, sabíamos que ela era a pessoa com a sensibilidade para dar conta do tranco que havíamos inventado.

Convocar um time de arquitetos e designers voluntários e reformar uma instituição filantrópica. Simples assim. Só que ao contrário. Não havia nada de simples naquela missão, uma vez que, naquela mesma tarde, decidimos que a primeira reforma seria entregue antes do Natal. E, bom, já era outubro. E não tínhamos nada. Saímos da reunião com a tarefa de, para começar, montar um time de profissionais que iriam pular nesse abismo de olhos fechados com a gente. Será que alguém toparia se doar assim? Será que alguém seria tão doido a ponto de topar revitalizar um ambiente sem ganhar nada em troca e, possivelmente, sem nenhum tipo de auxílio financeiro? Ah, vocês não são capazes de imaginar quantos doidos tem no mundo. Sabe aqueles doidos de coração enorme que, diante de uma boa causa, entram de cabeça, sem nem perguntar detalhes? Foi assim que a primeira geração do Décor Solidário (a essa altura o projeto já havia sido batizado, às pressas, como tudo naquela primeira edição) se formou. Dizem que o amor é contagioso e, naquele mês de novembro de 2014, tivemos a certeza disso. Sem que a gente tivesse muito controle das coisas, de repente, haviam lojas chegando na porta da instituição com carregamento de doações. Pedreiros e pintores entrando em contato para doar seu serviço.

Parentes e amigos dos profissionais envolvidos pintando parede na chuva. Artistas doando suas obras para nosso primeiro leilão, muito trabalho braçal e uma energia transcendental. No dia 1o de dezembro daquele ano, entregamos oito quartos, cozinha, sala de jantar, terraço, corredores, banheiros, lavabo, fachada, capela, recepção, secretaria e bazar totalmente repaginados para o Lar de Idosas Santa Tereza e Santa Terezinha. Uma sensação indescritível de ter visto uma milagre acontecer diante dos nossos olhos. De que todo aquele trabalho havia valido a pena.

E um enorme desejo de fazer mais. Com o Décor Solidário já mais organizado e formalizado – mas com a mesma paixão de sempre – em 2015 foi reformado o lar para crianças TJ Criança Abriga e, em 2016, a casa Sempre Viva, que recebe mulheres vítimas de violência doméstica. Este ano, nos preparamos para a revitalização da sede do grupo cultural Meninas de Sinhá, no Alto Vera Cruz. E se, depois de tudo isso, ainda restar alguma dúvida sobre o poder transformador da arquitetura e do design, que tal bater um papo com aquelas idosas que passaram a se arrumar mais depois que viram seus quartos reformados? Ou com uma criança que, vítima de abandono, consegue se sentir em casa quando é acolhida por aquele lar? Ou ainda com uma daquelas mulheres que, após sofrer violência doméstica, encontram não apenas um abrigo, mas a possibilidade de recuperar sua autoestima? Fazer arquitetura e design é promover um mundo mais alegre e aconchegante.

É proporcionar qualidade de vida e conforto. É melhorar a autoestima das pessoas e estimular as relações interpessoais. E é por isso que temos o maior orgulho de ter feito do nosso ofício, a divulgação desse universo mágico. Curta a página do Décor Solidário no Facebook e confira todas as reformas realizadas pelo projeto: facebook/decorsolidario

Mais postagens