Casa dos sonhos

Cissa Bernardes

Casa dos sonhos

Neste período em que passamos por uma pandemia e estamos isolados, respeitando a quarentena, além de nos sentirmos impotentes, há também aquela impressão de estarmos enclausurados. Principalmente para quem vive em apartamentos pequenos, sem áreas de lazer ou mesmo uma varanda.



É nesta hora que nos volta à mente aquele velho sonho de comprar uma casa com quintal. Sonho este que sempre deixamos um pouco de lado por acharmos que seria impossível pagar por ele. Mas será que ter uma casa é realmente tão caro?



De acordo com o administrador e consultor financeiro Vinícius Marinho, esta nova conquista deve ser bem planejada, dimensionada e estruturada.



“Como experiência de mercado já presenciei, infelizmente, pessoas esforçadas e merecedoras conquistarem sonhos e vê-los escorrer por entre os dedos em pouco tempo porque, no primeiro momento veio o sentimento de ‘eu posso e eu mereço’, mas no segundo momento vem o outro lado das conquistas: o preço. O primeiro passo é saber que precisamos dedicar um tempo para planejar, conversar, fazer contas, usar a matemática financeira a seu favor e trilhar o caminho de realizações. Da mesma forma, também já tive o prazer de presenciar conquistadores de sonhos me confidenciar que achava que seria mais difícil e que demoraria mais, mas, chegou a tão sonhada conquista e já planejam os próximos passos”, revela.



O profissional ressalta que nada é caro ou barato e, sim, planejado e construído. Atualmente, no mercado financeiro, há inúmeras opções que podem dar auxílio para se alcançar esta conquista. “Hoje, temos muitas opções financeiras para aquisição de imóveis como o consórcio previamente contemplado, financiamento imobiliário, consórcios convencionais, cartas de crédito, enfim, para todos os tipos de bolsos e perfis. Essas opções dependem da condição de cada um, avaliação socioeconômica, capacidade de poupar, de abdicar, de unir forças e de construir em bases sólidos o patrimônio de amanhã. Ter a orientação de um profissional é importante e um divisor de águas nesse momento”, pontua Vinícius Marinho.



E para quem fica na dúvida entre comprar a casa, já pronta, ou adquirir um lote para, então construir a sua, o administrador insiste que tudo vai partir do pressuposto de suas condições financeiras para tal, pois são condições e características distintas.



“Imagina o prazer de construir a casa dos seus sonhos, com o projeto, partir para execução, finalizar e fazer uma baita inauguração compartilhando a sua conquista com todos que ama? No mínimo prazeroso. Mas, como enumerei o processo, desde o sonho até a inauguração, existe o planejamento e a decisão acertada. Por isso, ter um profissional de finanças ao seu lado é o ideal para seguir seu sonho. Afinal, ele leva em conta o principal de tudo, que é você”, encerra Vinícius Marinho.



 



 



 



Dinheiro na mão é hora de construir. Como o foco é não perder dinheiro, a contratação de uma empresa de engenharia é o ideal. “Neste momento, quando o projeto chega a etapa de construção, ele já passou pelo planejamento de um arquiteto. Com o projeto em mão, nós trabalhamos em cima do valor pré-estabelecido pelo cliente para a obra. Isso para evitar, ao máximo, que o preço final da construção da casa seja superior ao que foi combinado anteriormente”, elucida Luiz Borges, engenheiro civil e proprietário da Construtora Santa Rosa.



Na engenharia civil, o nome disso é gerenciamento de obra. Tudo é colocado na ponta do lápis de maneira a evitar desperdício de material, mão de obra e, claro, financeiro. “A contratação de uma empresa de engenharia é importante porque, na maioria das vezes, a construtora tem mais de uma obra em andamento. Por isso, perante aos seus fornecedores, ela consegue um valor muito mais em conta na compra das matérias-primas já que compra em grande quantidade. A mão de obra anda mais na linha (não falta, não aparece sem condições para trabalhar) porque sempre estamos contratando eles para outras obras. Se falha conosco em alguma, nós não continuamos com ele. Todo o material comprado é exatamente calculado para não faltar ou sobrar em excesso. E, com todos esses cuidados, as obras costumam ser mais rápidas. O que é bom para o cliente, para os funcionários e para a empresa de engenharia. E como diz o ditado: “tempo é dinheiro”. A economia é gerada”, finaliza Luiz.